BRASIL: Moraes dá dois dias para Bolsonaro se manifestar sobre discurso de ódio (Revista Oeste)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou nesta sexta-feira, 15, que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL-RJ) se manifeste no prazo de dois dias em relação à ação impetrada pelos partidos de oposição contra discursos de ódio. O prazo passa a ser contado a partir do momento da intimação do presidente da República.

Na ação, os partidos Rede, PC do B, PSB, PV, Psol e Solidariedade argumentam que as falas do presidente se configuram em estímulos psicológicos que vão construindo no imaginário de seus apoiadores e seguidores a desumanização do opositor. As legendas citam duas frases ditas pelo presidente para basear a ação. Segundo eles, as manifestações do presidente incitam a violência. “Essa prática reiterada durante seus atos de pré-campanha, agendas institucionais e aparições nas redes sociais vão reforçando no imaginário comum de seus apoiadores a prática da violência, não só “no sentido figurado”, afirmam os partidos.

As siglas pedem ainda que o presidente seja obrigado a condenar publicamente o assassinato de Marcelo Arruda, que foi morto no Paraná. A ação pede que seja fixada multa de R$ 1 milhão, caso Bolsonaro promova novas manifestações nesse sentido.

Ainda nesta sexta-feira, a Polícia Civil concluiu que não houve motivação política no assassinato do tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT) em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Jorge Guaranho foi indiciado por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e causar perigo comum, de acordo com a delegada Camila Cecconello, em entrevista coletiva, nesta sexta-feira, 15. “Não há provas de que foi um crime de ódio, pelo fato de a vítima ser petista”, disse a delegada.

Texto: Revista Oeste.


Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Aviso: nós do blog Pensando Direita estamos sendo perseguidos por políticos e seus assessores nos grupos de WhatsApp! Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Comentários