BRASIL: MORAES CONVOCA TODAS AS POLÍCIAS MILITARES DO PAÍS E AUMENTA TENSÃO COM PROTESTOS






O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), convocou os comandantes-gerais de todas as Polícias Militares para uma nova reunião em Brasília, na próxima quarta-feira, 23.

O objetivo é saber o balanço das ações de segurança pública durante as eleições, discutir protocolos para as próximas eleições e “sedimentar a parceria” das polícias estaduais com a Justiça Eleitoral.

O Planalto, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, entendeu como um “desrespeito ao pacto federativo e investida inconstitucional de Moraes sobre as polícias, que são subordinadas aos governadores”.




O vice-presidente e senador eleito pelo Rio Grande do Sul, general Hamilton Mourão (PRTB), encomendou um estudo à sua assessoria jurídica para impedir a reunião. Mourão acredita que há um “estado de exceção” provocado pela Justiça. Além de as eleições já terem acabado, disse o vice-presidente, a PM não pode ser usada para conter os bloqueios em rodovias federais, já que esta é uma atribuição da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

“A título de combater manifestações conceituadas como antidemocráticas, as decisões judiciais do ministro Alexandre de Moraes têm suspendido direitos fundamentais outorgados na Constituição”, diz o texto da equipe de Mourão.

Fonte: Revista Oeste.


Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Aviso: nós do blog Pensando Direita estamos sendo perseguidos por políticos e seus assessores nos grupos de WhatsApp! Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Comentários