BRASIL: Multas por bloqueios de rodovias já passam de R$ 5,5 milhões, diz ministério


O Ministério da Justiça e da Segurança Pública informou nesta quarta-feira, 2, que entre 31 de outubro e 1º de novembro foram aplicadas 912 multas a condutores que bloquearam rodovias pelo país, perfazendo o total de R$ 5,5 milhões. Os protestos começaram depois da eleição de domingo 30, em que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conseguiu se eleger.

De acordo com o ministério, os valores das multas dependem do tipo de infração e podem variar de R$ 5 mil a R$ 17 mil, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). De acordo com o artigo 253-A do Código de Trânsito Brasileiro, é penalizado com infração gravíssima todo e qualquer condutor que utilizar veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via sem autorização do órgão ou entidade de trânsito.

A pena para essa infração gravíssima é multa de R$ 5 mil e suspensão do direito de dirigir por 12 meses. Como medida administrativa, o infrator pode ter o veículo removido.

Para aqueles que forem identificados como organizadores do bloqueio da via, aplica-se a multa agravada, no valor de R$ 17 mil. Em caso de reincidência, aplica-se em dobro a multa no período de 12 meses. Ainda de acordo com o CTB, as penalidades são aplicáveis a pessoas físicas ou jurídicas que incorram na infração.

Fonte: Revista Oeste.

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Aviso: nós do blog Pensando Direita estamos sendo perseguidos por políticos e seus assessores nos grupos de WhatsApp! Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Comentários