BRASIL: SENADOR IZALCI ANALISA ANDAMENTO DA PEC DAS DROGAS

VÍDEO: DEPUTADA VENTURA É APLAUDIDA DURANTE AUDIÊNCIA PÚBLICA AO SE REVOLTAR COM "SUBSERVIÊNCIA AO STF"

Durante a sessão da audiência pública na Câmara dos Deputados sobre as Prisões Ilegais do 8 de Janeiro, a deputada federal Adriana Ventura fez um discurso contundente criticando a postura do Senado em relação ao Supremo Tribunal Federal (STF) e abordou a questão das prisões políticas ocorridas naquela data.

Adriana Ventura compartilhou suas emoções ao ouvir os relatos dos presos políticos e sua visita a um presídio, descrevendo a experiência como marcante e chocante devido às condições desumanas enfrentadas por eles. Ela direcionou críticas à covardia observada em diversos setores da sociedade, incluindo parlamentares, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o judiciário.

A deputada denunciou a falta de ação do Senado diante das investidas do STF e destacou a necessidade de eliminar o foro privilegiado para garantir a responsabilização das partes envolvidas. Ela também enfatizou a importância do Congresso Nacional como representante legítimo da população e condenou a postura de subserviência perante outros poderes. No cenário atual, mesmo com alguns senadores se posicionando contra medidas autoritárias do STF, a inércia predominante no Senado levanta preocupações sobre a preservação da democracia no Brasil.

Aviso: nós do blog Pensando Direita estamos sendo perseguidos por políticos e seus assessores nos grupos de WhatsApp! Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários