BRASIL: EXCESSO DE CHUVAS EM SC CAUSA ALAGAMENTOS E APREENSÃO

VÍDEO: PP MIRA COMANDO DE MINISTÉRIO DE LULA

Membros do Progressistas na Câmara intensificaram a pressão sobre o governo para exonerar a ministra da Saúde, Nísia Trindade, sugerindo a substituição pelo atual líder do partido na casa, o deputado Dr. Luizinho. Já cogitado para a pasta em 2021 durante o governo Bolsonaro, Luizinho surge como possível alternativa diante das críticas à ministra Trindade, acusada de não atender parlamentares e pela suposta baixa execução orçamentária.

A ministra Trindade enfrenta descontentamento por gastar apenas 84% dos recursos disponíveis, atrasando projetos e pagamentos de fornecedores. O Progressistas, ligado ao Centrão, históricamente interessado no Ministério da Saúde, levanta questões sobre a eficiência da atual gestão. A polêmica destaca a tensão entre manter a ministra ou ceder à possível indicação política, suscitando preocupações sobre a influência do Centrão no governo.

O cenário político é complexo, com a indicação do PP para o Ministério da Saúde em pauta. A pasta, alvo de disputas e com a ministra criticada, destaca a delicada escolha entre a continuidade de Trindade, com desafios evidentes, e a possível intervenção política, suscitando questionamentos sobre os reais interesses por trás dessas movimentações no cenário político.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários