BRASIL: PGR DENUNCIA CARLA ZAMBELLI POR “INVASÃO”

VÍDEO: PF FAZ PERGUNTA INUSITADA A BOLSONARO EM DEPOIMENTO

**Polícia Federal inclui termos de identidade de gênero em depoimentos, gerando desconforto:**


O ex-presidente Jair Bolsonaro prestou depoimento à Polícia Federal, sendo questionado sobre sua identidade de gênero, especificamente se era "Cis", termo que se refere àqueles que se identificam com o sexo que lhes foi atribuído no nascimento. Bolsonaro optou por ficar em silêncio em relação a questões sobre a investigação, mas respondeu ao delegado afirmando que não sabia o que significava "Sis". A pergunta faz parte de um novo procedimento da PF que inclui os termos transgênero e cisgênero na coleta de dados durante depoimentos.


A abordagem da Polícia Federal gerou críticas, levantando questionamentos sobre a inclusão de detalhes aparentemente irrelevantes nos depoimentos. Esse novo procedimento, que busca informações sobre identidade de gênero, provocou reações diversas, desde desconforto até piadas por parte do ex-presidente e comentaristas. 

Além disso, há preocupações sobre a transparência no fornecimento de todas as acusações ao advogado de defesa, destacando a importância do respeito aos direitos individuais durante processos legais. A inclusão de perguntas sobre identidade de gênero em depoimentos policiais levanta questões sobre a seriedade das abordagens e o impacto dessa prática nas investigações. 

Enquanto alguns veem a medida como um avanço na coleta de dados, outros argumentam que ela pode desviar o foco das questões centrais das investigações. O episódio também destaca a necessidade de um equilíbrio entre a condução de procedimentos policiais e o respeito aos direitos individuais dos envolvidos nos processos.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários