BRASIL: TARCÍSIO DE FREITAS BATE MARTELO EM LEILÃO DA B3

VÍDEO: REDE SOCIAL ENCERRA ATIVIDADES NO PAÍS APÓS PRESSÃO DO JUDICIÁRIO

Em uma reviravolta significativa, a rede social Locals está prestes a desativar seus serviços no Brasil como resposta a uma determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). A plataforma, em nota aos usuários, alega que a decisão é uma resposta direta às exigências do STF para a remoção de alguns perfis brasileiros. A Locals destaca que não pretende alterar suas políticas de conteúdo para se adequar à determinação do tribunal, enfatizando seu compromisso com a missão de restaurar uma internet livre e aberta. A data limite para a permanência ativa no Brasil é até 12 de fevereiro.

Essa decisão da Locals segue uma tendência recente, exemplificada pelo Rumble, uma plataforma de vídeos que também optou por deixar o Brasil devido a repetidas decisões do STF. O movimento levanta questões sobre a liberdade de expressão e econômica no país, já que empresas estão tomando medidas diante das decisões do tribunal, reforçando a ideia de que a liberdade econômica está intrinsecamente ligada à liberdade de expressão no contexto brasileiro.

O Ministro Alexandre de Moraes, atual presidente do TSE, adiciona uma camada preocupante ao panorama ao afirmar que o Congresso terá pouco impacto na legislação de censura proposta. Moraes destaca que o TSE já decidiu sobre a atuação em relação às próximas eleições, colocando o tribunal acima das demais instâncias e questionando a previsibilidade da legislação, sublinhando a importância de entender como o TSE interpretará as questões, independente do que está escrito na Constituição.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários