BRASIL: STF FORMA MAIORIA PARA NOVO ENTENDIMENTO SOBRE FORO PRIVILEGIADO

MUNDO: O QUE O NOVO PRIMEIRO-MINISTRO DE PORTUGAL QUE DERROTOU EXTREMA-ESQUERDA TERÁ PELA FRENTE

O processo político em Portugal está em destaque, com a indicação do novo primeiro-ministro sendo uma prioridade do Parlamento. O editor Marcelo Faval ressaltou a importância desse momento, destacando as mudanças nas forças políticas, especialmente com o crescimento da direita conservadora e extrema direita. Com uma reconfiguração do Parlamento, as negociações para formar uma coalizão ganham relevância, com diferentes cenários possíveis entre os partidos para alcançar maioria.

Confira detalhes no vídeo:



O presidente Marcelo Rebelo de Sousa iniciou as conversações com os partidos políticos em março, visando entender suas estratégias para formar governo. Com prazos definidos, incluindo a cerimônia de início da nova legislatura em 13 de março e a formação do Parlamento até 28 de março, o país segue um calendário político estruturado para garantir uma transição suave de poder. A antecipação das eleições, decidida pelo presidente, contribui para uma nova dinâmica no cenário político português.

O sistema semipresidencialista em Portugal, onde o presidente compartilha poder com o primeiro-ministro, destaca a importância do equilíbrio de forças entre o Executivo e o Legislativo. Com a antecipação da legislatura, o presidente exerce sua prerrogativa, influenciando a dinâmica política do país. A formação de uma coalizão governamental será crucial para o próximo período, enquanto Portugal avança em seu calendário político com a definição do novo governo e seu programa para os próximos anos.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários