BRASIL: MORO EXPÕE PROBLEMA ABSURDO DO GOVERNO LULA

BRASIL: TSE TOMA DECISÃO SOBRE CONVITE INUSITADO DA DITADURA DA VENEZUELA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu não enviar observadores para acompanhar as eleições presidenciais da Venezuela, marcadas para 28 de julho. O órgão não informou os motivos concretos da decisão e não deixou claro se comunicou o Ministério das Relações Exteriores. A ditadura de Nicolás Maduro havia incluído observadores internacionais para garantir a transparência e legitimidade do pleito, mas a exclusão de representantes da União Europeia e a impugnação de candidatos da oposição preocupam a comunidade internacional.

Confira detalhes no vídeo:


Apesar de um acordo inicial para eleições transparentes, Maduro reverteu sua posição, eliminando candidatos e restringindo a participação de observadores. Essa mudança de postura indica uma tentativa de sabotar o processo eleitoral. Representantes brasileiros e de outras nações criticaram a decisão de Maduro, destacando que enviar observadores poderia conferir uma falsa legitimidade ao processo.

A ausência de observadores do TSE reflete a percepção de que não há um verdadeiro processo democrático na Venezuela. A decisão visa evitar gastos desnecessários e não legitimar um pleito amplamente considerado uma farsa. Com a exclusão de observadores imparciais, a eleição venezuelana continua sob suspeita, reforçando o controle autoritário de Maduro.

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Comentários