Brasil: em "paradoxo", médico instrui homem a tomar 2ª dose da vacina contra Covid de fabricante diferente após grave reação, mas prefeitura proíbe


Com a difusão em grande escala de vacinas contra Covid-19 fabricadas em tempo recorde, simplificando ou pulando etapas de teste, começam a surgir cada vez mais paradoxos, não apenas jurídicos, com a iminente obrigatoriedade da vacinação, seja por meio de lei ou por meio de medidas partidas de empresas para privar não vacinados de direitos básicos, mas também científicos, como foi o caso de um homem em Minas Gerais. Confira:


Para saber mais sobre os riscos das vacinas contra Covid-19, clique aqui.


Aviso: nós do blog Pensando Direita estamos sendo perseguidos por políticos e seus assessores nos grupos de WhatsApp!  Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Comentários