BRASIL: MST INVADE ÁREA DO GOVERNO FEDERAL

BRASIL: DEPUTADO REVELA QUEM FINACIA INVASÕES DO MST

Em um diálogo revelador com o deputado Zucco, atual presidente da CPI do MST, foram discutidos aspectos cruciais. O parlamentar, que lidera a Comissão Parlamentar de Inquérito dedicada a investigar as atividades do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), ressaltou a dimensão política das ações em curso. Ele compartilhou que "tivemos claramente uma ação política". O deputado mencionou os resultados já alcançados e o robusto relatório produzido até o momento.

Confira mais detalhes no vídeo:

Zucco indicou que a CPI está pronta para apresentar um trabalho efetivo à sociedade, destacando a disposição de continuar com convocações, convites e quebras de sigilo. O deputado expressou que a pauta de quebra de sigilo de líderes, incluindo Stédile, não avançou, mas a intenção é continuar buscando essa abordagem. Ele enfatizou a necessidade de não permitir que o movimento de esquerda desvie a atenção de assuntos importantes, como as atividades do MST.

Zucco apontou sérias acusações contra o MST, incluindo esbulho possessório, associação criminosa, dano ao patrimônio e violência. Ele enfatizou a postura de um governo omisso e conivente. Esse diálogo reflete a busca por esclarecer ações e aprofundar a compreensão sobre as atividades do MST no contexto da reforma agrária.

Aviso: nós do blog Pensando Direita estamos sendo perseguidos por políticos e seus assessores nos grupos de WhatsApp! Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários