BRASIL: MST INVADE ÁREA DO GOVERNO FEDERAL

VÍDEO: GANHADOR DE PRÊMIO NOBEL É PRESO NA RÚSSIA POR CRITICAR A GUERRA COM A UCRÂNIA

Após um julgamento em Moscou, Rússia, Oleg Orlov, de 70 anos, copresidente do grupo de direitos humanos "Memorial" e laureado com o Prêmio Nobel da Paz, foi detido nesta terça-feira (27/2). Ele recebeu uma sentença de dois anos e seis meses de prisão por supostamente "desacreditar repetidamente" o Exército russo em um artigo que denunciava a invasão da Ucrânia.

Durante o julgamento, Orlov afirmou que sua prisão tem motivação política e, em sua declaração final, afirmou não se arrepender de suas ações. A acusação russa argumentou que Orlov promoveu o ódio aos militares e foi contrário aos "valores espirituais, morais e patrióticos tradicionais russos" ao escrever o artigo contra a guerra.

O grupo de direitos humanos "Memorial" criticou a sentença, classificando-a como uma tentativa de reprimir o movimento de direitos humanos e qualquer crítica ao Estado russo. Segundo relatos do jornal independente russo Mediazona, o veredito atraiu o apoio de dezenas de pessoas, incluindo 18 diplomatas ocidentais.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários