BRASIL: MST INVADE ÁREA DO GOVERNO FEDERAL

VÍDEO: GOVERNO RUSSO PROMETE RESPOSTA AOS EUA EM CASO DE TOMADA DE “ATIVOS RUSSOS”

Na véspera da reunião do G20, a secretária do Tesouro americano, Janet Yellen, fez um apelo por apoio do ocidente para desbloquear os recursos da Rússia, visando ajudar a Ucrânia. No entanto, o Ministro das Finanças da Rússia, Anton Siluanov, rejeitou categoricamente a proposta de Yellen, classificando-a como "falaciosa e destrutiva". Siluanov argumentou que a medida minaria os fundamentos do sistema financeiro mundial, tornando as reservas de ouro e moeda estrangeira dos países vulneráveis a decisões políticas. Apesar da recusa, o ministro russo mencionou que o momento é de redução das tensões.

As declarações ocorreram durante as reuniões dos grupos técnicos do G20, no pavilhão da Bienal, onde as equipes elaboram o comunicado que será apresentado pelos ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais das 20 maiores economias do mundo. A secretária de assuntos internacionais e coordenadora da trilha de Finanças do G20, Tatiana Rosito, destacou que o comunicado abordará discussões sobre a economia global, riscos, oportunidades, políticas importantes e as prioridades para o ano, incluindo a questão da dívida de países pobres.

As discussões no G20, que antecedem a leitura do comunicado na próxima quinta-feira, foram marcadas pela tensão entre Estados Unidos e Rússia. Janet Yellen buscou apoio para direcionar os recursos russos bloqueados por sanções à Ucrânia, mas a proposta foi duramente rebatida por Anton Siluanov. O ministro russo enfatizou os riscos da medida para o sistema financeiro mundial, apontando que ela tornaria as reservas dos países suscetíveis a decisões políticas. Apesar das divergências, Siluanov destacou a importância de reduzir as tensões no momento atual.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários