BRASIL: MST INVADE ÁREA DO GOVERNO FEDERAL

VÍDEO: ALIADOS DE BOLSONARO ASSUMEM COMISSÕES ESTRATÉGICAS NA CÂMARA

O Partido Liberal (PL) consolidou sua presença ao emplacar membros da ala bolsonarista em diversas comissões estratégicas da Câmara. Caroline de Tony assume a presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Nicolas Ferreira liderará a Comissão de Educação, Pastor Eurico estará à frente da de Previdência e Assistência Social, Antônio Carlos Rodrigues foi indicado para a Comissão de Esporte, e Alberto Fraga comandará a de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Essa configuração reforça a pressão sobre o governo Lula, enfrentando desafios na articulação política na casa legislativa.

Essa movimentação do PL, o maior partido atualmente, representa uma vitória significativa, dificultando o caminho do governo e da base governista para avançar com projetos estratégicos em 2024. A presidência dessas comissões, agora lideradas por membros bolsonaristas, sugere uma resistência ideológica a pautas de interesse da esquerda, aumentando as tensões no cenário político.

O Partido Liberal (PL) reforçou sua influência ao posicionar membros da ala bolsonarista em comissões estratégicas da Câmara dos Deputados. Nomes como Caroline de Tony na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Nicolas Ferreira na Comissão de Educação, Pastor Eurico na de Previdência e Assistência Social, Antônio Carlos Rodrigues na de Esporte, e Alberto Fraga na de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado prometem intensificar a pressão sobre o governo Lula. Essa configuração, resultado da força do PL como o maior partido, pode complicar a aprovação de projetos-chave para a base governista em 2024, destacando a resistência ideológica no cenário político.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários