BRASIL: SENADOR IZALCI ANALISA ANDAMENTO DA PEC DAS DROGAS

VÍDEO: EVENTO COM MORAES NÃO ATRAI PÚBLICO E HOMENAGEM A PACHECO É CANCELADA

Um seminário gratuito na Faculdade de Direito da Universidade de Buenos Aires, que contou com a presença do Ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, foi praticamente ignorado pelo público. O evento tinha como proposta discutir a atualização do Código Civil brasileiro e o novo Código Civil argentino, mas começou com mais de duas horas de atraso e registrou a presença de apenas cerca de 40 pessoas, incluindo os convidados dos palestrantes. O último painel, que contaria com a participação de Alexandre de Moraes, e uma homenagem a Rodrigo Pacheco, acabou sendo cancelado.

O baixo comparecimento ao evento levanta questionamentos sobre o interesse do público argentino nas discussões sobre o Código Civil, ou se, de fato, a presença dos convidados afugentou os participantes. A situação destaca a desconexão entre a classe política brasileira, representada pelo Ministro do Supremo, e a opinião pública internacional, evidenciando que, mesmo em um contexto acadêmico, o repúdio a figuras como Alexandre de Moraes transcende fronteiras.

O episódio em Buenos Aires se junta a outros casos em que ministros do Supremo Tribunal Federal brasileiro enfrentaram críticas e indiferença no exterior. O evento esvaziado na renomada universidade argentina destaca que, enquanto essas figuras podem gozar de prestígio no cenário interno, sua atuação e reputação internacional estão longe de serem consensuais. Esse episódio reforça a importância de uma reflexão sobre a atuação dos representantes do sistema judiciário brasileiro além das fronteiras nacionais.

Garanta acesso ao nosso conteúdo clicando aqui, para entrar no grupo do WhatsApp onde você receberá todas as nossas matérias, notícias e artigos em primeira mão (apenas ADMs enviam mensagens).

Clique aqui para ter acesso ao livro O Brasil e a pandemia de absurdos, escrito por juristas, economistas, jornalistas e profissionais da saúde conservadores sobre os absurdos praticados durante a pandemia de Covid-19, como tiranias, campanhas anticientíficas, atos de corrupção, inconstitucionalidades por notáveis autoridades, fraudes e muito mais.

Comentários